Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O canto da Alice

Canais do YouTube de que gosto

Alice, 18.11.20

Olá!

Eu sei que ninguém quer lá muito saber, mas prometi a mim mesma que ia escrever todas as quartas e isso não aconteceu na semana passada, apenas porque não me estava a sentir muito bem e não estava com vontade nenhuma de ir para o computador escrever. Mas esta semana já estou muito melhor, portanto, cá estou eu.

Ver vídeos no YouTube é uma coisa que gosto mesmo de fazer, apesar de jamais me imaginar a ter um canal. Acho que é uma forma de entretenimento muito boa pois dá a literalmente qualquer pessoa a oportunidade de entreter os outros. Vou partilhar alguns dos canais que gosto de assistir. Só vou falar de pessoas estrangeiras não porque os portugueses não sejam bons mas porque acabam por já ser mais ou menos conhecidos e não ia acrescentar nada de novo.

Ruby Granger

A Ruby é provavelmente a que vejo há mais tempo das que vou falar aqui. Eu adoro basicamente tudo nos vídeos dela, o facto de ela viver numa casa de campo com animais, o facto de ela estar sempre a ler (as recomendações de livros dela são OURO), o facto de ela se vestir como uma avozinha, sotaque britânico dela que é simplesmente delicioso de se ouvir. Ela também é incrivelmente produtiva, e ajuda-me muito nesse aspeto.

WhatsApp Image 2020-11-18 at 20.15.42 (1).jpeg

The Bliss Bean

Em termos de produtividade, esta rapariga também é uma inspiração. Gosto muito dela porque, apesar de ser super organizada e produtiva, não é daquelas youtubers que têm a casa toda clean e branquinha. Apesar de ser incomparavelmente mais organizada do que eu, acaba por ser bem mais relatable do que outras que têm tudo até *demasiado* bonitinho.

maxresdefault (2).jpg

Linh Truon

Comecei a ver os vídeos dela não há muito tempo mas já estou viciada. Adoro o aesthetic dela, colorido e, sei lá, artístico. A color palette (?) dos vídeos dela é perfeita, só de olhar para as capas dos vídeos dela que dá vontade de os ver a todos.

WhatsApp Image 2020-11-18 at 20.15.42 (3).jpeg

A little bit of Monika

Esta rapariga é um pouco viciada em filmes e o canal dela é maioritariamente sobre cinema, algo que, claro, eu adoro. Revejo-me bastante no gosto dela e por isso estou sempre atenta aos vídeos dela para saber o que ver.

maxresdefault (1).jpg

Shayda Campbell

Eu gosto muito de arte e desenho, e adorava saber fazê-lo bem, mas definitivamente não é o caso. E este canal é fantástico porque dá dicas de desenhos super fáceis de fazer e muito giros! Claro que os meus nunca se comparam aos dela, mas só os fazer já é um começo ahaha. A sério, os desenhos e pinturas são mesmo muito simples, são coisinhas como flores, pequenos padrões, etc. 

WhatsApp Image 2020-11-18 at 20.15.42 (4).jpeg

Até à próxima!

 

 

 

 

O dia de outono perfeito...

Alice, 04.11.20

Olá!

Quando era mais nova, detestava o facto de o meu aniversário ser em novembro. Todos pareciam pensar que novembro é um mês depressivo: o tempo começa a ficar frio, ir há escola já é novamente parte da rotina e o Natal ainda vai longe, mas próximo o suficiente para o desejarmos. E eu acabava por sentir o mesmo, talvez mais porque me passavam essa mensagem do que por realmente o sentir. Nunca fui propriamente uma pessoa de verão, sempre gostei das épocas mais cozy, sem a confusão e o movimento todo que o verão traz. E ultimamente tenho começado a apreciar ainda mais o outono, e há que dizer que é a minha estação favorita. E novembro é o meu mês favorito, não por ser o meu aniversário, mas porque dá mesmo aquelas vibes outonais (outonal é uma palavra tão bonita), que outubro não chega a dar porque, com as alterações climáticas, no início de outubro ainda está tempo para ir à praia.

Então, já que estamos em novembro, está mesmo a pedir um dia passado em casa, enroscada numa manta, a beber leite com chocolate :) E já que temos de ficar em casa, junta-se o útil ao agradável, não é?

                WhatsApp Image 2020-11-04 at 22.59.32.jpeg

  • Para começar, nada melhor que enfiar uma camisola de lã fofa e quentinha, o que, na minha opinião, é simplesmente a melhor peça de roupa já inventada.

 

  • Para abraçar por completo o outono, acho que todo o ambiente é super importante. Eu adoro decorar o meu quarto, e ter ideias novas para a decoração sem ter de gastar absolutamente dinheiro nenhum. Às vezes, basta pôr aos pés da cama uma manta qualquer que tenhamos por casa e já dá um ar totalmente diferente ao quarto!

 

  • E, claro, VELAAAAS! Confesso que só este ano é que passei a usar velas (talvez porque só este ano é que consegui acender um fósforo sem dar guinchos e o atirar para longe) mas já estou completamente apaixonada. Tenho imensas velas no meu quarto e tê-las acesas deixa-me mesmo feliz e de bom humor. Gosto especialmente das com cheiro a baunilha, é demasiado bom!

 

  • Outra coisa que é mesmo essecial é ter a música certa. Gosto sempre de pensar que a vida é um filme em que cada um de nós é a personagem principal, e não há filme sem banda sonora, certo? Um dia destes vou fazer aqui um post da minha playlist, mas por agora deixo uma unpopular opinion: música clássica. Há muita gente que pode achar aborrecido, mas eu tenho começado cada vez mais a ouvir, principalmente para estudar, visto que não me consigo concentrar a ouvir música com letra. E é simplesmente maravilhoso. É super relaxante e sinto sempre que estou a ouvir algo realmente bom, com história. Não quero estar a armar-me em especialista em música clássica, porque não sei literalmente nada, mas, pelo que já ouvi, acho que Choupin é o meu compositor preferido. É tão bom...

 

  • Uma coisa que acho que combina mesmo com esta estação é a cozinha. Mesmo que seja um daqueles bolos super básicos, que é só juntar os ingredientes e mexer, já é maravilhoso. O que também é importantíssimo é uma bebida. O café é uma boa opção, mas eu não gosto nada. Também não gosto de chá, mas queria imenso gostar, porque acho super reconfortante beber um cházinho enroscada no sofá. Bom, só me resta o leite com chocolate, que é uma delícia. Acho que já chegámos à conclusão que tudo o que é doce é bom ehehe.

 

  • Agora que já temos o ambiente, o que havemos de fazer? Eu sempre adorei ler e é a atividade mais outonal que há. Imaginem isto: numa tarde nublada de outono, sentada no canto da cama enroscada numa manta, com a bebida ao lado e música clássica em pano de fundo, com um bom livro nas mãos... Para mim, isto sim é um dia perfeito. Um género literário que combina muito com esta época é sem dúvida o mistério. E eu, que leio imenso destes livros, tenho bastantes recomendações, mas vá, vou só dar duas, ambas da Agatha Christie, claro. Primeiro, "O Enigma do Sapato"  . É sobre um dentista que é assassinado. A verdade é que li este livro há um quatro anos e já não me lembro de nada, apenas o estou a recomendar porque foi o primeiro livro de "murder mystery" que li, e adorei. Lembro-me que fiquei super surpreendida com a revelação final, e sinceramente um pouco assustada com tanta conversa sobre homicídio. Este último é do Poirot, e o segundo é da Miss Marple. Chama-se "Os Treze Enigmas" e acho que é o meu favorito da Miss Marple. Neste livro, um grupo de amigos, incluindo a velhinha Miss Marple, junta-se todas as semanas, sendo que em cada semana cada um descreve um crime que tenham vivido de perto (sendo que todos já tinham estado em contacto com um crime ahaha), para que os outros resolvam um mistério. Como é óbvio, é sempre a Miss Marple que o consegue fazer.

 

 

Até à próxima!

 

Vou começar

Alice, 01.11.20

Olá!

Ultimamente tenho pensado neste blog e no pouco tempo que dedico a ele. Quando o criei tinha em vista escrever com regularidade, mas vou sempre acabando por adiar. Pois bem, vou começar a escrever com mais regularidade. Gostava de o fazer uma vez por semana, talvez todas as quartas-feiras, uma vez que tenho uma aula por Zoom de manhã e aproveito para publicar um post já que tenho o computador ligado, uma vez que este computador é um atraso de vida. Demora imenso tempo a ligar por isso não o uso assim tanto, quando quero ir à Internet vou quase sempre ao telemóvel, só o uso mais quando é para fazer trabalhos ahaha. Talvez mude também o template e o aspeto geral do blog, ainda não tenho a certeza.

Bom, é mesmo só isto. Acho que, ao escrever este post, escrever os meus objetivos, vou ter mais motivação para os cumprir.

Até à próxima!

Expectativas para o décimo ano

Alice, 19.09.20

Olá!

Estou a escrever isto quando faltam poucas horas para a minha apresentação e estou mega nervosa. Não fiquei com ninguém na minha turma do ano passado, e nesta turma conheço apenas 3 pessoas, que já foram da minha turma no quinto e no sexto, e para uns outros dois de vista, acho eu. De resto estou totalmente às cegas sobre quem possam ser as pessoas. Oh, e fiquei no turno da tarde. Isto não é uma novidade para mim, já que no segundo ciclo era da tarde (mas não saía às 19h ahaha). Mas mesmo assim, quando soube, fiquei um pouco contrariada, pois é óbvio que vou, eu e qualquer pessoa, ser mais produtiva a estudar e etc à tarde e não de manhã, quando só nos apetece ficar na cama o maior tempo possível. Apesar disso, acho que não sou das mais prejudicadas por ser da tarde, uma vez que vivo literalmente na rua ao lado da escola, por isso não há problema praticamente nenhum em sair às 19h. Ainda pensámos em pedir para trocar para a manhã, pois o meu irmão, que anda noutra escola mas mesmo ao lado da minha nova escola, é da manhã, mas eu já me tinha habituado à ideia de que ia ser da tarde e não quis. Já preparei mais ou menos uma rotina matinal, que consiste em acordar às 8:30 e fazer exercício logo de manhã, agora resta saber se a consigo cumprir, tenho sérias dúvidas ahaha.

Classroom | Boarding school aesthetic, Boarding school, High school host  club

 

Vou falar um pouco das minha expectativas para cada disciplina e em geral, até para no fim do ano poder comparar com a realidade.

Português: Eu gosto e sempre gostei muito de ler, e também sempre gostei desta disciplina. Já sei mais ou menos as obras que vamos dar, Os Lusíadas (o que dei já no ano passado e foi uma gigantesca seca, vamos admitir) e qualquer coisa do Gil Vicente. No nono ano dei o Auto da Barca do Inferno, e por acaso gostei muito, pois tinha piada mas principalmente porque fizémos uma atividade nalgumas cenas que consistia em representá-las em grupo, e no fim os participantes do grupo que tivesse mais pontuação (dada pelos outros) ganhavam um chocolate cada um. E digamos que os grupos em que eu estive ganharam sempre o chocolate :) Acreditem ou não, ainda hoje sei todas as falas da cena da Alcoviteira ahaha. Por isso, essa parte do Gil Vicente eu devo gostar, mas acho que deviam atualizar o programa de forma a incluir obras mais recentes, tipo do século 19, em vez de apenas coisas mediavais. Apesar disso, acho que este ano vou gostar ainda mais desta disciplina, pois durante a quarentena penso que comecei a dar mais valor à literatura e até li mais livros, incluisive li em poucas semanas um livro de 700 páginas de que quero muito falar aqui.

Inglês: Gostava muito que começássemos a avançar no inglês, talvez começar mesmo a ler livros, ou pelo menos aprofundar mais a matéria, em vez de começar sempre pelo presente, depois o passado, etc, etc, coisas que pelo menos eu já sei há anos. Espero mesmo que assim seja, não sei pois ainda não tenho o manual, e compreendo que ainda haja pessoas que não saibam come se diz "eu comi pão" em inglês (por acaso não compreendo mas ok) mas acho que isso é a minoria podiam aumentar um bocado a dificuldade. 

Filosofia: Estou super hiper mega ansiosa. Sim, eu sei que pode ser estranho, mas eu gosto muito de, sei lá, pensar em questões filosóficas, e debatê-las, e quando vi o manual (ainda só tenho este e o de português), juro que achei aquilo realmente interessante. Dizem que filosofia ou se adora ou se odeia, e há fortes hipóteses de eu adorar. Espero que não seja só decorar os nomes das teorias dos filósofos (apesar de gostar de saber isso também), espero que tenhamos mesmo a oportunidade de dar a nossa opinião.

Educação Física: Bom, eu tenho uma espécie de relação amor-ódio com Educação Física. Acho que é super importante, até porque há pessoas que não têm oportunidade de fazer outro desporto e, apesar de ser só duas vez por semana, acho que sempre nos ajuda a mantermo-nos saudáveis, e tem muitas mais vantagens, como socializarmos e trabalharmos em equipa com os colegas, além de que é diferente e como que uma pausa das aulas "normais" em que temos de estar simplesmente sentados numa cadeira. Mas digamos que eu nunca fui uma pessoa propriamente desportiva e desde o quinto ano que tenho algumas dificuldade com esta disciplina, estando sempre ali a balançar no 3 e tendo até duas vezes negativa em avaliações intercalares, uma no quinto e outra no sétimo ano. No nono ano, pela primeira vez na minha vida, e para minha enorme surpresa e alegria, tive 4 a Educação Física, tanto do segundo como no terceiro período. Apesar desta nota, este ano não contribuiu nada para eu gostar da disciplina, pois tive uma professora que detestei, uma vez que ela era extremamente machista. Inclusive, disse uma vez literalmente o seguinte: se as raparigas usam leggins para a aula de EF, é porque querem mostrar o rabo. Se usam calças de fato de treino, é porque têm vergonha do corpo. Estes e outros comentários enojaram e enojam-me imensamente, e a minha opinião acerca dela não mudou minimamente por ela me ter dado quatro. Este ano as aulas vão ter imensas restrições, mas espero acima de tudo ter um professor simpático e justo, e vou esforçar-me ao máximo. Acho que o que vamos fazer não vai diferir muito quanto aos outros anos, exceto provavelmente termos de fazer menos exercícios em grupo, por causa da pandemia.

Matemática: É assim, não faço a mínima do que vamos dar este ano, mas provavelmente vai ser uma continuidade, como sempre é, mas claro que vai ficando mais díficil ano após ano. Sei que vamos ter de ter uma calculadora gráfica, coisa que custa uns 100 euros, mas provavelmente fico com uma das do meu avô, que é fanático por matemática e mal pode esperar por começarem as minhas aulas. Ele até já encomendou um manual igual ao meu, para poder ir seguindo o que eu estou a aprender ahaha.

Biologia e Geologia: Quem neste mundo gosta de geologia, afinal? Eu não conheço ninguém. Mas não há nada a fazer, geologia é uma coisa com que todos os estudantes de ciências terão de lidar. Felizmente, parece-me que não é muito tempo. Quanto a biologia... Eu gostava, eu adorava dizer que gosto. Mas na verdade não gosto láááá muito. A verdade é que a Natureza em si não me interessa por aí além, e por vezes penso se fiz bem ao escolher esta área. O que espero é que esta disciplina desperte a minha atenção, e não posso querer muito mais do que isso.

Fisíca e Química (descobri ontem que agora é Física e Química e não Fisico-Química): É basicamente o mesmo de Biologia e Geologia: espero sinceramente começar a gostar mais. Por acaso tenho-me vindo a interessar um pouco mais sobre, sei lá, como tudo é constituído, e talvez FQ até venha a ser uma disciplina interessante. É pena que, tal como em Biologia, não seja possível fazermos experiências este ano, por causa do Covid. Na minha antiga escola não havia laboratório, quando faziamos experiências era na sala e muito de vez em quando, mas quanto a isso não há nada a fazer...

Por fim, quanto ao ano em geral o que quero são coisas normais, boas notas, amigos, etc. Estou um pouco nervosa quanto a integrar-me na turma e fazer amigos, pois, apesar de nos últimos anos me ter vindo a tornar mais sociável do que era antes, ainda sou um pouco ("um pouco") tímida e especialmente para falar com pessoas novas que não conheço. Eu sei, ou melhor, acho, que aos poucos me vou integrar, mas como temos menos tempo com as pessoas da turma este ano, tenho medo que seja mais díficil... Pelo menos duas amigas minhas, que eram da minha turma antiga, têm aulas numa sala no mesmo pavilhão que eu, por isso sempre posso estar com elas. Quanto à escola em si, provavelmente deveria começar a estudar para os testes com mais antecedência, e vou também tentar interessar-me mais pelo que estou a aprender, pois, afinal de contas, saber coisas é uma boa sensação.

 

Entretanto já é sábado e tenho simplesmente de dizer que as aulas não começaram propriamente da melhor forma. Tive a apresentação na quinta e passei uma vergonha gigantesca ao chegar atrasada, pois apesar de eu saber perfeitamente que era às três, sabe-se lá porquê pensei que era às três e meia e cheguei meia hora atrasada...

Até à próxima!

Um verão diferente

Alice, 07.09.20

Olá!

Estão-se a acabar umas férias que foram bem merecidas para toda a gente. Depois de meses em que mal saímos de casa, estas férias foram para aproveitar ao máximo, apesar de ainda haverem muitas restrições.

Pode-se dizer que tive umas mini-férias ainda em junho, enquanto ainda estávamos em aulas. Estive uns dias no Algarve, visto termos lá casa (quando digo isto acho que as pessoas pensam que é uma moradia enorme com piscina e 7 quartos, mas é só um apartamento ahaha), e para ter as aulas lá foi bastante difícil, pois tivémos que trazer uma daquelas coisinhas de internet móveis e aquela coisa estava sempre a travar. Mas o que mais me causou impressão nessa altura foi que, quando estive lá com os meus amigos, estive de estar de máscara, e até éramos um pouco mal vistos por sermos de Lisboa, como se estivéssemos ali a espalhar o vírus. 

Quando voltámos a situação começou a ficar ainda pior. Costumamos ir todos os anos à aldeia do meu avô. O meu avô não vive lá, mas vivem outros familiares. Este ano (olhando para trás vejo que era bastante estúpido fazê-lo logo este ano, mas na altura pareceu-me uma excelente ideia) estávamos a planear ir lá toda a família daqui de Lisboa (9 pessoas), para um turismo rural. Mas as coisas estavam a ficar mesmo feias, e até tínhamos medo que fizessem um cerco sanitário nas 19 freguesias. Isso era bastante improvável, visto ser uma área tão grande, mas de quaquer forma tínhamos de ir visitar pessoas idosas da família, e não queríamos expô-las a esse risco, por isso acabámos por desistir, e ficámos por cá até meados de julho, quando partimos de novo para o Algarve, eu, os meus pais e o meu irmão, para ficar lá um mês.

E assim começou a nossa habitual rotina de veraneio (não sei porquê gosto muito desta palavra), ir à praia de manhã bem cedo, ficar pela vizinhança à tarde. O prédio em que lá vivo fica num largo com muito espaço, e vão para lá muitos miúdos brincar, como nos anos 80 :) Tenho lá alguns amigos, e normalmente é lá que passamos as tardes. Nessa altura, acho que também os algarvios estavam mais descontraídos e com menos "medo" dos lisboetas, até porque os turistas começavam a chegar e essa era mesmo a única opção, e deixámos rapidamente de usar máscara nessas tardes (claro que mantivémos sempre os cuidados necessários).

Essa rotina do praia-rua é fixe e tal, mas começa a ser cansativa passado umas semanas. Gostava de passar de vez em quando algum tempo num lugar diferente, mas o meu pai literalmente AMA aquele sítio e fica tão perturbado quando se fala em tirar-lhe um bocado do seu precioso tempo lá, que essas ideias acabam por cair no esquecimento. E também reparo que, para o fim, começo a querer mesmo voltar para aqui. O que é estranho, já que praia-rua é indubitavelmente melhor que casa-casa-voltinha-casa-casa. Então porque é que não prefiro ficar por lá? Ainda não sei a resposta.

E lá voltámos para cá, e conversa da aldeia voltou a surgir. Depois de alguma discussão, decidimos ir (mas só nós os quatro, em vez das 9 pessoas previstas antes ahaha), até para aproveitar o facto de a minha mãe já ter andiantado o pagamento da outra vez. E lá fomos, e correu esplendidamente. Visitámos a minha idosa tia-avó, sem nos aproximarmos, e a maior parte dos quatro dias em que lá ficámos passámos na praia fluvial, que é maravilhosa e que não tinha praticamente ninguém. E quando voltámos, senti pela primeira vez o quão diferente é o ar do campo comparado com o da cidade. Depois de ter passado uns dias naquele lugar em que o ar é do mais puro que se pode encontrar, o ar de Lisboa parecia quente, pesado, deixava-me enjoada. É incrível e assustador o facto de estarmos tão habituados à poluição que nem a notamos, no dia a dia.

E pronto, foi isto. Quer dizer, parece que vamos passar o próximo fim-de-semana a Coimbra e Aveiro, duas cidades a que nunca fui. E depois, lá vamos nós outra vez para a escolinha, que a verdade é que já faz um pouco de falta ahaha.

Até à próxima!